Tabela – A Odisséia Que Foi Pro Espaço – Parte 1

Esta historinha é sobre as famosas tabelas de ilustração e foi escrita em finais de 2003.

De lá pra cá, algumas partes da ficção se tornaram realidade. Outras, não. De qualquer forma, o mundo e a profissão de ilustrador mudaram bastante.

Por: Angelo Shuman

tabela ilustração1

Prólogo

Nov.2003:

Manhã primaveril.
O sol serpenteia seus raios por entre as copas das árvores. Um clarão de luz explode nas águas do lago e faz vibrar as cores, matizes e texturas nas diversas espécies de flores que desabrocham no parque. Você mergulha o pincel num pequeno copo de água tépida, tirada daquele mesmo lago. Com movimentos ágeis de espadachim, meneia as macias cerdas num delicado estojo de aquarela e, num gesto, como que roubando um naco da natureza, transfere toda aquela harmonia para o papel à sua frente. Seus movimentos são vigorosos e seguros e sua obra tem uma concepção única, onde as elípses se entrelaçam.
Você é um ilustrador. E dos bons.
O povo à sua volta está estupefato com tamanho talento.
A vida é bela.

Capítulo I

Dez.2003:

Você já tem algum nome no mercado e é chamado pela editora A (que é grande), pra fazer um trabalho legal por um preço merreca ( R$ 142,85 por pg.). Acha que foi bem pago.

Jan.2004:

Seu nome vai conquistando o mercado; está ganhando fama de quem trabalha por prazer e nem liga pra tabelas; agora é chamado pela editora B (que é pequena), pra fazer um trabalho legal, novamente  por um preço merreca.
Só que os caras te falam:
-Não somos grandes como a empresa A, então nossa tabela é R$ 100,00 por pg.
Você fica satisfeito, pois o trabalho é legal.

Fev.2004:

Você já consolidou seu nome como cara que topa tudo por prazer, e é chamado novamente pela editora A (que é grande), que vem com esse papo:
– Ô meu! tem um trampo legal aqui, só que pesquisamos o mercado e o nosso novo preço de tabela é de 100 “reau”. Topa? E você topa pois o trabalho é legal, autoral, etc.

Mar.2004:

Você é chamado pela editora B (que é pequena) e o cara te diz :
– Tivemos uma reunião de diretoria, o chefe tá puto, disse que estamos pagando como empresas grandes, o que é um absurdo, pois somos pequenos. Ameaçou com cortes; então mudamos as tabelas. Agora é 70 “pau” a página dupla. Quer ou não quer? Se não quiser, tem quem queira – diz polidamente. Você topa, afinal, é um trampo legal, autoral, concepcional, etc.

Abr.2004:

A editora A (que é grande), te chama. No elevador do prédio você encontra
um velho amigo – que “virou” ilustrador depois de ter sido mordido por um, numa noite de lua cheia, durante o lançamento do Corel Pau! 32.3 – e ele te diz sussurrando ao pé do ouvido:
– Putz! Você viu como o mercado tá uma merda? Tem cara de nome que tava ilustrando pg. dupla por 70 “paus” !!! Isso foi no mês passado, porque a tabela agora é R$45,00, a dupla. Eu ainda não tenho nome como você, mas consegui negociar uma dupla e mais 86 vinhetas por R$ 49,99. Legal né? É pruma matéria sobre a Batalha dos Guararapes, tem pesquisa de época…

 Continue lendo…

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *